Bolsa de valores: tudo o que você precisa saber

Computador verde com seta para cima indicando uma ação da bolsa de valores que foi valorizada.

Você sabe o que é a Bolsa de Valores? Descubra como funciona, quais os ativos negociados nela e saiba como investir na bolsa.

Fala, meu caro. Você sabe o que é a bolsa de valores e como ela funciona? Se você é investidor, precisa conhecer o seu ambiente de trabalho.

Hoje vai vai entender como a bolsa de valores surgiu e quais são ativos são negociados nela. Além disso, vou te dizer o que você precisa para começar a investir. Vem comigo!

O que é a bolsa de valores?

A bolsa de valores é o ambiente no qual acontecem as negociações dos valores imobiliários entre os investidores. Ou seja, onde eles podem comprar e vender diversos ativos. Entre eles ações e FIIs, por exemplo.

É a bolsa que garante a segurança nas negociações dos títulos das empresas. Ela tem a função de oferecer ao mercado liquidez. E, assim, garantir a facilidade e a transparência na compra e venda de ativos.

O acesso à bolsa de valores se dá exclusivamente por meio de uma corretora de valores. Os investidores negociam operações na bolsa com o intuito de obter ganhos com os investimentos.

Por outro lado, as empresas utilizam a bolsa como um meio de captar recursos, a fim de transformar a companhia em uma sociedade de capital aberto.

Dessa forma, cada investidor que compra — por meio da bolsa de valores — uma ação, por exemplo, torna-se um acionista. Como se fosse um sócio de tal companhia.

Como surgiu a bolsa de valores?

Tudo indica que as expedições marítimas foram o primeiro “negócio” a reunir pessoas para investir. Por volta de 1285, alguns nobres se reuniam na casa da família Van der Burse.

Eles financiavam essas expedições, que eram muito caras, e recebiam uma espécie de título proporcional ao seu investimento. Isso dava ao investidor da época o direito a parte do lucro da viagem.

Não havia ainda numeração nas casas, mas sim um brasão. O da casa dos Van der Burse eram três bolsas. E, assim, começou o nome “bolsa” para esse tipo de negociação. Era, em primeiro lugar, a casa das bolsas.

No entanto, somente em 1531, na Bélgica, que foi oficialmente criada a primeira bolsa de valores — Bolsa de Antuérpia. Contudo, ela ainda não negociava ações. Isso só aconteceu, em 1602, pela Bolsa de Amsterdã, quando a Companhia Holandesa das índias orientais foi pioneira no que diz respeito a ter papéis negociados no mercado.

Crise de 1929

Essa crise econômica teve início com a quebra da bolsa de valores de Nova York, nos Estados Unidos. Mas se espalhou para o restante do mundo, uma vez que os EUA era a maior economia global.

Em resumo, havia mais produtos no mercado do que pessoas para comprar. Por isso, as empresas fecharam. Assim, milhares de acionistas decidiram revender suas ações. Isso levou à queda da bolsa e, consequentemente, à crise de 1929.

B3

Fachada da Bovespa, a antiga bolsa de valores de São Paulo.
Fachada da Bovespa, a antiga bolsa de valores de São Paulo.

A B3 é a bolsa de valores do Brasil. Ela resulta da fusão entre as antigas Bovespa, BM&F e Cetip. Uma empresa de capital aberto responsável pelo funcionamento e pela negociação dos ativos na bolsa de valores.

Já tem um texto aqui no blog contando tudo sobre a B3. Desde como ela surgiu até o que fazer para investir nela. Confira aqui.

Ativos que são negociados na bolsa de valores

Ações

As ações são os ativos mais conhecidos. Também são aqueles que mais geram volume de movimentação na bolsa.

As empresas de capital aberto dividem-se em ações. Uma ação é uma fração do capital de uma empresa. Cada acionista é sócio da companhia da qual possui ações, por isso tem o direito de participar dos lucros dela.

Sede do banco Itaú, uma das grandes empresas da Bolsa de Valores brasileira.
Sede do banco Itaú, uma das grandes empresas da Bolsa de Valores brasileira.

Dessa forma, quanto maior for o seu percentual de participação — ou seja, quanto mais ações ele tiver — maior será o seu lucro quando a empresa distribuí-lo. Geralmente, essa repartição de lucros entre os investidores acontece por meio da distribuição de dividendos.

Entenda como você pode ganhar dinheiro com ações.

FIIs

Os Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs) também são ativos negociados na bolsa. Esses fundos investem em ativos imobiliários por meio da locação dos seus imóveis. Tais como: shoppings centers, galpões logísticos, lajes corporativas, hospitais entre outros.

Quando você compra uma cota nesses fundos, é como se você se tornasse sócio do empreendimento. Mesmo sem ter investido um grande capital — como faria se fosse comprar um local para alugar, por exemplo.

Isso acontece por meio dos aluguéis dos imóveis. Depois de pagar suas despesas, o FII distribui o resultado líquido para os seus cotistas. Uma grande vantagem desse investimento é o seu recebimento mensal.

Saiba mais sobre os tipos de FIIs e comece a receber parte do aluguel dos melhores imóveis do país.

Outros

Ainda que as ações sejam os ativos mais conhecidos, existem outros que também movimentam esse mercado. Os FIIs, como foi falado acima, também as Opções, os ETFs e outros títulos.

As opções são um tipo de ativo mais arriscado. Elas servem tanto como seguros de carteiras, quanto como um meio de realizar especulação de mercado. Isto é, investir alto com objetivo de lucrar a curto prazo por meio das variações de preços.

Como seguros, quando há uma queda brusca no mercado, as opções podem se multiplicar, a fim de reduzir o impacto na sua carteira. No entanto, se não houver queda, a opção perde seu valor.

Os ETFs, Exchange Traded Fund, são fundos de gestão passiva negociados na bolsa. Eles são feitos com metodologias pré-estabelecidas de investimento. Têm como referência algum índice da bolsa, como o Ibovespa ou o Índice Brasil.

Quando você compra uma cota do ETF, está exposto a diversas ações de empresas. É um fundo que te dá diversificação. No entanto, não é o investidor quem acompanha as empresas para comprar e vender ações, mas o fundo.

Neste texto eu expliquei como você deve investir nos ETFs.

Como começar a investir na bolsa de valores?

Linha de partida de uma corrida, simbolizando o início da caminhada de alguém que quer investir na bolsa de valores

Agora que você já entendeu o funcionamento da bolsa de valores, resta saber como começar a investir nela. O passo a passo é simples. Em primeiro lugar, você precisa abrir uma conta em uma corretora. Afinal, ela é ponte entre você e os investimentos.

Se você ainda tem dúvidas sobre o que são as corretoras, entenda aqui.

Em seguida, você vai transferir o valor que será investido para a corretora escolhida, a fim de ter recursos disponíveis para as aplicações.

Depois disso, você escolhe os ativos e diversifica a sua carteira. Pronto, agora você vai investir e monitorar os seus ativos. Lembrando que a longo prazo, com autonomia e paciência, você garante um bom retorno.

Quer entender melhor como começar a investir? Eu já falei aqui no blog qual o primeiro investimento que eu faria.

Quer saber mais sobre investimentos? Faça parte do nosso Grupo de Verdade. Tenha acesso a conteúdos novos toda semana!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscreva-se em nossa newsletter

Fique por dentro de todas as novidades! Coloque seu e-mail abaixo para receber as atualizações do blog.

Deixe seu melhor e-mail abaixo para participar: