O que é renda fixa: riscos, mitos e função na sua carteira

O que é renda fixa? Qual é a função desse investimento? Ela possui riscos? Confira tudo isso neste guia completo.

Você vai se surpreender com quão simples, quão direto e quão eficaz é a utilização de renda fixa. Mas antes, eu preciso te contar algumas premissas fundamentais que você precisa saber se quiser investir nesse ativo.

Renda fixa versus renda variável

renda fixa versus renda variavel
Renda fixa e renda variável são grupos de investimentos distintos, cada um com a sua função dentro da carteira. (Imagem: Unsplash)

Para começar, vou diferenciar os grupos de investimentos, pois, basicamente, nós os resumimos nesses dois. E a grande diferença que apresentam é a previsibilidade do resultado.

Previsibilidade

Quando falamos em renda fixa, nós conseguimos estimar quanto ganharemos durante o período no qual deixaremos o nosso dinheiro investido. Ou seja, é como se estivéssemos assinando um contrato de um empréstimo onde, depois de um período determinado, o valor corrigido pela inflação.

Esse investimento também pode ser pré-fixado. Por exemplo, emprestar mil reais e, ao final de um ano, recebê-lo com 1% ao mês.

Pelo contrário, a renda variável não apresenta previsibilidade. Justamente porque esses ativos estão ligados à economia real, como empresas, cujo faturamento é variável, ou fundos de investimentos imobiliários, que, por mais que apresentam uma estimativa, não podemos prever a oscilação do mercado imobiliário, nem a entrada de inquilinos.

A grande diferença entre eles é a previsibilidade, em contrapartida do que diz o senso comum dos investidores iniciantes, que acham que a diferença é o risco.

Não há risco em renda fixa?

As pessoas criam a imagem de que renda fixa não apresenta nenhum risco, que o retorno é certo, enquanto ao investir em ações não se sabe se ganhará dinheiro ou não. E isso simplesmente não faz sentido.

Portanto, eu te digo com todas as letras: renda fixa também tem risco! Obviamente, um risco menor, mas ele existe.

O principal mito sobre renda fixa

Todos os investimentos têm risco. Por isso, a ausência de risco é o maior mito sobre renda fixa. Sabendo disso, você começa a pensar um pouco mais antes de investir. Eu vou te dar exemplos claros.

Escolhas populares, mas não tão eficazes

Quando falamos em renda fixa, dois são os primeiros investimentos que nos vêm a mente. O primeiro deles é poupança, mas nem vou gastar o meu e o seu tempo para explicar. Basicamente, a rentabilidade é baixíssima, perdendo às vezes até para a inflação

O segundo são os títulos de renda fixa, como CDB e LCI.

Qual é o grande ponto? Esses títulos não são 100% seguros. E o risco é bem simples: o banco emissor desse título pode vir a falência e não ter como te pagar. Afinal, se ainda não percebeu, investir nesses títulos é como se você estivesse fazendo um empréstimo ao banco, que te devolverá o valor com juros ao final do prazo estipulado.

Fundo Garantidor de Crédito (FGC)

Já prevejo os defensores dos títulos de renda fixa levantando a bandeira do FGC para contra argumentar.

Sim, na teoria, se algum dos bancos emissores dos títulos falir, o FGC entra em ação. A princípio, seu papel é garantir que o dinheiro que você “emprestou” será devolvido.

Para que você entenda o perigo dessa garantia, vou te contar uma história.

Renda fixa à beira do penhasco

renda fixa risco penhasco
É bom tomar cuidado com a “segurança” que te prometeram com a renda fixa. (Imagem: Unsplash)

Havia um grande penhasco, um cânion, nos Estados Unidos. Uma vez que sua vista era maravilhosa, atraía muitos turistas. Por sua vez, o governo tinha um grande receio, afinal, cair daquela altura era fatal. As pessoas também temiam, por isso a maioria não se aproximava da sua beirada, tiravam fotos apenas de longe.

Apesar disso, um homem se arriscou e se aproximou da beira do precipício. Caiu e veio a óbito. Logo em seguida o governo respondeu: colocou uma grade de proteção, pois não podia admitir que uma pessoa por ano morresse naquele ponto turístico.

Qual é o problema dessa grade? Acima de tudo, ela passa sensação de segurança. Logo que reabriram a visitação, os primeiros turistas passaram a se escorar na cerca. Como resultado, a grade não resistiu. Caiu e levou consigo trinta e cinco turistas.

Em um lugar onde morreria uma pessoa por ano, por causa da grande, em um único evento, morreram mais do que em trinta anos.

Analogamente, essa grande é o Fundo Garantidor de Crédito. Se o FGC precisasse reembolsar todos que investiram em uma CDB cujo banco faliu, ressarciriam 3% dos elegíveis.

A sensação de segurança que o FGC passa é totalmente falsa, como era a da grade no cânion.

Percebeu como você pode estar à beira de um precipício? E o pior, pensando estar cem por cento seguro.

Há riscos que podem ser evitados. Confira Os 3 maiores erros do investidor iniciante.

Riscos e renda fixa

Vamos falar mais um pouco sobre risco? Em geral, nos investimentos, quando ousamos ao investir, esperamos também um retorno maior.

A tendência é que risco e retorno andem de mãos dadas.

O ponto aqui é que na renda fixa isso não acontece.

Muito risco para pouco retorno

Quando você se arrisca em ações, de fato, pode perder tudo. Porém, há também um potencial ilimitado de retorno. Há o risco, mas também há a chance de um grande retorno.

Na renda fixa, ao se expor a um risco maior, ou seja, investindo mais dinheiro naqueles títulos, o aumento no retorno é muito baixo.

Se, ao invés de investir no tesouro Selic que te dá 100% do CDI, você investe em um CDB que dá 110% do CDI. a diferença de rendimento será mínima, quase insignificante.

A verdadeira função da renda fixa

Não vale a pena se arriscar em renda fixa com esse mínimo aumento na margem de retorno. A renda fixa tem uma função específica – e não é multiplicar o patrimônio ou gerar renda passiva.

Essa exposição a um risco maior em renda fixa é semelhante a alguém que usa uma chave de fenda para bater em um prego. A chave não serve para pregar. Essa é justamente a função do martelo. A chave de fenda aqui será ineficiente. E existe ainda o risco de se machucar, ou, no nosso caso, perder dinheiro.

Definitivamente, a função da renda fixa não é rentabilidade. Na nossa carteira, ela nos dará segurança e liquidez. Qualquer coisa diferente disso é querer pregar com uma chave de fenda.

renda fixa liquidez dinheiro carteira
Uma grande vantagem da renda fixa é o fácil acesso ao dinheiro investido. (Imagem: Unsplash)

Agora é a hora de descobrir quais são Os melhores investimentos de renda fixa.

Quer saber mais sobre a metodologia que eu uso para investir? Então faça parte do nosso grupo e fique por dentro das novidades.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Deixe seu melhor e-mail abaixo para participar: