Previdência Privada vale a pena?

A Previdência Privada é um dos investimentos mais populares do Brasil. Mas será que ela vale a pena mesmo? Eu vou te contar tudo sobre ela neste post!

Se você chegou até esse post, ou você investe nela e quer saber se vale a pena continuar, ou você está ponderando investir em uma.

Ao final deste post, você vai saber se vale a pena ou não investir em previdência privada e, já dando um spoiler, quais são as alternativas à ela.

O que é a Previdência Privada?

Em resumo, ela é um investimento focado no médio ou longo prazo que tem duas fases: acumulação e resgate.

Acumulação

Primeiramente, na fase de acumulação, você realiza aportes todos os meses na sua previdência.

Resgate

Ao final de um período de tempo, você começa a receber renda passiva a partir do capital acumulado. O período, por sua vez, varia conforme plano fechado com seguradora ou corretora.

Fundo de investimento por trás

Há uma taxa de administração para esse investimento. O dinheiro aportado mensalmente é, assim, direcionado a um fundo de investimento com gestão profissional que o aloca em um investimento específico.

Previdência Privada: vantagens e desvantagens

Previdencia Privada Aposentadoria
Seria a previdência privada a melhor opção para garantir sua aposentadoria? (Imagem: Rawpixel)

Visto que você sabe o básico de como uma Previdência Privada funciona, é hora de falar de suas desvantagens e vantagens.

Previdência Privada não é bem um investimento

Na verdade, ela sequer é um investimento. Tanto que quem faz sua regulamentação é a SUSEP, a Superintendência de Seguros Privados, ou seja, ela está mais para um seguro do que para um investimento.

PGBL e VGBL

Outro ponto que vale a pena comentar é que existem dois tipos básicos: PGBL e VGBL. Não vou diferenciá-los, pois todas as características que vou comentar são comuns a ambos.

Ou seja, tudo o que vou comentar é uma característica do investimento em si, indiferente ao seu tipo.

A grande diferença entre eles está ligada às suas regras de tributação. Um pode adiar parte do IR, o outro tributa sobre o valor total. Mas, de maneira geral, são o mesmo investimento.

Baixa Liquidez

A primeira desvantagem da Previdência Privada é a baixa liquidez.

O que isso significa? Em primeiro lugar, a liquidez diz respeito ao quão fácil é movimentar seu dinheiro investido. Se invisto hoje e retiro amanhã, sem nenhum prejuízo, o investimento é de alta liquidez.

Esse não é o caso da Previdência Privada. Sobretudo porque ela te força a ficar com o dinheiro investido por um longo período. Força, pois, apesar de poder retirá-lo a qualquer momento, seu imposto é regressivo: começa alto e cai ao longo do tempo.

Se invisto hoje e quero retirar em um ou dois meses, o imposto pode chegar a 30%. Ou seja, você é forçado a manter o investimento em médio ou longo prazo.

Segurança

A baixa liquidez não é uma grande desvantagem, pois há outros investimentos com característica semelhante, mas que são bons por outros aspectos.

É aí que entra a segunda desvantagem. Apesar de ser considerada por muitos como investimento de renda fixa, a Previdência Privada não tem a garantia do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito.

Em outras palavras, se a instituição financeira falir ou o fundo no qual seu dinheiro está investido acabar, você não tem o FGC para arcar com as dívidas, diferente de alguns ativos de renda fixa.

Ficou interessado em renda fixa? Saiba o que é renda fixa, para que serve e quais são seus riscos.

Baixa rentabilidade

A proteção do FGC também não é tão relevante a ponto de inutilizar o investimento.

Porém, quando falamos da terceira desvantagem. com certeza você nunca mais vai pensar em Previdência Privada na sua vida. Isso porque ela tem baixa rentabilidade.

A verdade nua e crua é que, se você investe seu dinheiro, está esperando receber um valor maior no final. Você quer que seu dinheiro renda e que seu montante final seja maior do que o inicial.

Isso é rentabilidade – e é o que de fato importa. Quanto maior ela for, melhor é para você.

E aqui, a verdade é que mais de 60% dos fundos de renda fixa, leia-se Previdência Privada, não batem sequer o CDI, que é a taxa mais básica de todos, a taxa base de juros.

previdência privada baixa rentabilidade
A rentabilidade não é o forte desse ativo. (Imagem: Rawpixel)

Por que isso acontece? Isso é tudo culpa das taxas.

Como disse no começo do post, a Previdência Privada direciona seu dinheiro investido para fundos que, por sua vez, investem em ativos de renda fixa.

Consegue enxergar o problema? Há intermediários entre você e o investimento real. Esse intermediários não trabalham por caridade. Parte do seu rendimento fica nas taxas (de administração, de carregamento, de saída, etc).

Mesmo que tenha apenas taxa de administração, o impacto gerado na rentabilidade é muito grande.

Há alguma vantagem na Previdência Privada?

A resposta é não. A Previdência Privada não tem vantagens relevantes.

Alguns alegam que escolhendo a previdência x, se pode abater do imposto de renda.

Mas não é bem por aí. A relevância disso é nula. Você não abate no imposto de renda, mas até 12% da sua receita tributável pode ter sua tributação adiada para quando você retirar sua previdência.

Essa é uma vantagem mínima quando comparada à desvantagem das taxas de administração em relação à rentabilidade do investimento.

Alternativas à Previdência Privada

Se não há vantagens, quais são as alternativas? Eu vou te contar as melhores opções, considerando as mesmas características do investimento: médio ou longo prazo, baixa liquidez, focado em uma aposentadoria e renda futura.

Investir em títulos do governo

Em primeiro lugar, vou te mostrar a alternativa mais conservadora. A grande maioria das previdências, pega o seu dinheiro e investe em títulos do governo. Mas você não precisa delas para isso.

Você mesmo pode investir em um título do governo. E eu te dou duas boas opções:

1. Tesouro Selic: boa opção caso queira ter alta liquidez;

2. Tesouro IPCA+: menor liquidez, mas maior rentabilidade.

Eu expliquei os detalhes desses investimentos em outro post, Os melhores investimentos de renda fixa. Vale a pena dar uma olhada!

Carteira de investimentos com renda variável

O ponto forte da renda fixa não é um alto rendimento. E você, pelo contrário, talvez você esteja buscando um ativo com maior rentabilidade.

A melhor opção no teu caso é montar uma carteira de investimento que inclua renda variável. Aqui não tem conversa: o melhor investimento no longo prazo é a renda variável, ou seja, investir em ativos ligados à economia real, empresas e imóveis – ações e fundos de investimento imobiliário (FII).

No longo prazo, nada supera a renda variável. (Imagem: Rawpixel)

Assim você consegue criar uma “Previdência Privada” muito mais efetiva do que qualquer produto pronto no mercado.

Ações, FIIs, renda fixa, parte investido no exterior, isso sim vai compor uma boa aposentadoria e te dará tranquilidade no futuro.

Conclusão

Não existe hack. A vida é isso: você precisa adquirir conhecimento para tomar a decisão certa.

Com investimento não é diferente. Você precisa dedicar uma parte do seu dia para estudar e escolher a melhor opção.

O que de fato enriquece é trabalho mais investimento.

Trabalhar você já sabe, agora é hora de aprender a investir.

Faça parte do Programa Completo Investidor de Verdade, aprenda a investir com autonomia e liberdade!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Deixe seu melhor e-mail abaixo para participar: